EnglishItalianPortugueseSpanish

O poder das palavras

Reflita sobre as palavras que você diz

Há o final do ano, época das listas! Época de ver os melhores do ano: os melhores filmes, as melhores músicas, programas, profissionais, os melhores do ano. É época de descobrirmos o que foi o melhor do nosso ano, afinal nós também tivemos os melhores do nosso ano, não?

E para pensar nesse ano proponho para você uma coisa muito forte e poderosa: já parou para pensar quais são as suas palavras hit do ano? A palavra tem muito poder na nossa vida, no nosso cotidiano e nas nossas ações, principalmente, e muitas vezes não paramos para pensar no que falamos, principalmente no que falamos para nós. Quais são as palavras que você mais disse para você nesse ano, quais foram as reclamações que você mais fez durante esse ano e quais as bênçãos que você atraiu?

A palavra tem muito poder e está na hora da gente começar a pensar qual é o poder que a gente dá para elas. E para pensar sobre esse poder que damos às palavras que proferimos vamos primeiro a fundo pensar sobre a origem dessas palavras. Pois todas as palavras têm uma origem por exemplo a palavra “palavra” é de origem Latina e quer dizer manifestação verbal, declaração, compromisso verbal, autorização ou direito de falar1. Tudo isso é o significado da menor fração de expressão que nós temos em nossa língua e olha o poder que ela tem, apenas nessa explicação, pois ela é uma forma de autorização, de direito que você está dando a essa expressão. Então quando você fala algo é como se você estivesse declarando algo para você, para o universo ou para outra pessoa. Ou pior, você está autorizando algo, alguém, ou a você mesmo. E tudo isso é só a palavra!

E é importante refletir aqui sobre o que você fala para você, quais são as palavras que você mais utiliza para falar sobre você, sobre o seu trabalho, sobre os seus sonhos, sobre o que você deseja e quais são as suas metas. Muitas vezes utilizamos palavras muito duras conosco, sem parar para pensar o quanto aquilo aflige. somos duras, somos cruéis com as com a pessoa mais importante que pode existir na nossa vida, que somos nós.

Já a palavra “reclamar” é um verbo que entre os seus significados encontramos: opor-se por meio de palavras, fazer reclamação ou queixa; mas ela também pode significar exigir o que lhe pertence, pedir ou mandar de maneira veemente, reivindicar posse ou autoria2. Muitas pessoas às vezes brincam que se você dividir a palavra reclamar, assim re-clamar, você encontra o seu verdadeiro significado. Você está na verdade pedindo para o universo aquilo de volta.

Se pararmos para pensar assim então, toda vez que você reclama você está pedindo 2 vezes aquilo de volta para você. Quantas vezes você reclamou esse ano de algo que você poderia ter mudado, mas ao invés de mudar você apenas ficou reclamando, reclamando e reclamando?

Este é um momento para repensarmos algumas ações e práticas do nosso cotidiano e a reclamação, muitas vezes é uma ação que a gente não quer fazer ou que estamos com medo de fazer. Reclamar não é a solução, mas entrar em ação seria a solução há quanto tempo você está protelando algo ao invés de fazer?

E para finalizar a nossa lista dos melhores do ano, já parou para pensar quais são os elogios que você faz sobre você? Qual elogio que você mais se fez durante o ano? Somos muito rápidas em elogiar o próximo, em dizer o quanto o outro é bom em determinadas coisas, o quanto o outro é produtivo, criativo. Mas e com relação a você? Qual foi a última vez que você usou uma palavra de carinho para descrever algo sobre você? Fica essa revisão, essa reflexão ou como você quiser chamar essa lista.

Geralmente fazemos várias listas nessa época do ano, não é verdade? Gostamos de fazer listas de metas, de sonhos, de planejamento. Mas esse ano eu te proponho esse exercício, vamos fazer uma lista das palavras que queremos escutar de nossas bocas sobre nós mesmos no próximo ano, acredito que vai ser uma das listas mais valiosas que você vai fazer.

– por Carolina Dias

Carolina é mulher, negra, professora de línguas da rede municipal de SP, casada, estudiosa e curiosa. Acredita na força interior do autoconhecimento e do autorreconhecimento. Conheça mais sobre o perfil da autora desse texto no Instagram:@kroljuliana

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin