EnglishItalianPortugueseSpanish

O histórico BBB 20 e o que ele representa.

A primeira mulher preta a vencer o Big Brother Brasil.

Mulher, negra/preta, adotada, de origem humilde. Thelma de Assis, a Thelminha, uma das participantes do Big Brother Brasil 20, já nasceu precisando passar por inúmeras barreiras sociais e por isso, teria motivos suficientes para desanimar, ficar na sua zona de conforto, enxergar-se de forma inferiorizada e até mesmo desistir dos seus sonhos. Nasceu precisando superar situações que para a maioria das pessoas são traumáticas. Mas, com uma força admirável, ela conseguiu construir um futuro totalmente diferente do que as estatísticas poderiam prever.

Eu posso imaginar, mas seria impossível sentir exatamente as dores que ela sentiu. Seria impossível sentir o cansaço das noites em que ela não dormiu porque precisava estudar mesmo não tendo o material necessário para o curso de medicina. Seria impossível sentir os medos, as inseguras e a dor de precisar provar o seu valor, mesmo ouvindo por tantas vezes um “desista, porque você não é capaz!”

Eu não posso imaginar em totalidade, as dores e barreiras que ela precisou passar, porém posso imaginar com clareza, o que ela teria perdido se tivesse desistido de seus sonhos. Certamente, ela não teria se formado como médica. Certamente, ela não chegaria ao BBB. Certamente ela não teria ganhado UM MILHÃO E MEIO DE REAIS (em pouco mais de três meses) além do amor e admiração de tantas pessoas que nunca a viram pessoalmente, mas que vibraram e choraram com a sua vitória na noite passada.

Thelminha ganhou uma edição histórica do Big Brother Brasil, durante uma das épocas mais difíceis que nossa geração já enfrentou, diante de uma pandemia que dominou o mundo, trouxe instabilidade financeira e emocional para tantas pessoas. Ela, com a companhia de outras duas mulheres incríveis, Rafa e Manu, mostraram para um país inteiro, como confrontar o machismo, o preconceito racial e social. Colocaram homens (e mulheres) escrotos no seu devido lugar e ajudaram a inspirar tantas outras mulheres, homens e crianças no nosso país.

Exemplos como a história de Thelma, precisam ser compartilhados e merecem destaque. Ela consagrou-se a primeira mulher negra a ganhar um reality show de convivência no Brasil. Você entende a representatividade disso em um país onde a maioria da população é descendente de negros/pretos?

Além disso, o exemplo dessas três mulheres ao mostrarem que, mesmo sendo adversárias no jogo, as três viveram uma amizade verdadeira, com muito respeito, união, carinho e harmonia. Nós mulheres, precisamos cada vez mais replicar essa atitude em nossas vidas e parar de ver outras mulheres como inimigas, mesmo que elas sejam nossas adversárias.

A noite de ontem vai ficar para sempre marcada na vida de muitas pessoas, foi uma vitória coletiva. Vencemos nós, que nos sentimos tão bem representadas por essas três mulheres incrivelmente inteligentes, fortes e empoderadas.

Obrigada Rafa Kalimann. Obrigada Manu Gavassi. Obrigada Thelma Assis.

Que a conquista dessas mulheres sirva de inspiração para a nossa própria história.

Por: Carolinne Oliveira

Foto/arte: Atila Brittoo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin