EnglishItalianPortugueseSpanish

Dicas de sobrevivência durante a maternidade

Como lidar com a nova realidade sem pirar

Quem vê a carinha do bebê feliz e bem cuidado, não imagina o corre da mãe cansada, não é mesmo?

Quando nasce um bebê, a única meta da mãe é sobreviver um dia após o outro e os dias correm! Virar a noite já não é mais tão fácil quando é uma atrás da outra. Por isso, nessa fase inicial precisamos da maior organização possível, por mais louco que pareça afirmar isso. Louco porquê? Bom, eu costumo dizer que as crianças estão “cagando” para o nosso planejamento, pois as necessidades deles aparecem a todo tempo. Então já pode anotar aí “nem tudo vai dar certo e tá tudo bem. Isso é esperado quando lidamos com crianças.” Ainda assim, planejar-se ameniza o nosso sentimento de que o mundo está todo fora do lugar.

Outro ponto importante é a autoestima da mulher após gerar uma criança. Nem tudo no seu corpo vai estar no melhor lugar, mas tenha paciência. Assim como tudo na vida, nosso corpo precisa de tempo para se readaptar, depois de ter se esforçado tanto.

Não existe fórmula mágica.

O que te incomoda? Se são uns quilos a mais, busque estratégias fáceis no dia a dia para você perder peso naturalmente. Uma boa alimentação, amamentar, comer em horas certas (esse é o mais difícil, eu sei) pode ajudar.

Se são estrias, celulites, flacidez, entenda que o seu corpo reagiu da melhor forma possível. Você gerou UMA VIDA e as marcas que podem ter surgido são marcas dessa história. Não se culpe achando que podia ter se cuidado mais. Aspectos que estão fora do nosso controle, como fatores genéticos, influenciam demais no aparecimento dessas marcas. No futuro, você pode escolher aceitar isso ou procurar procedimentos para amenizar ou remover. Sem pressa, agora tem um serzinho que precisa também da sua dedicação.

Se puder, amamente. Além do benefício para a criança, há vários benefícios para as mamães como: aceleramento da perda de peso, redução da incidência de câncer de mama, ovário e endométrio, diminuição do sangramento no pós-parto e entre outros.

Volte pra sua rotina de estudo e/ou trabalho assim que possível. Delicado falar nisso, pois eu mesma me lembro de ir chorando para a faculdade (em tempo integral), depois de deixar minha filha com 4 meses em casa. Já adianto que não foi uma opção e que foi muito doloroso pra mim, pois nesse momento, você só quer cuidar e proteger seu filho mas, por motivos que não dependiam apenas de mim, foi necessário. Hoje vejo como um ponto positivo, muitas mulheres não conseguem retornar a sua rotina e sua independência após o nascimento de um, ou mais filhos e isso acarreta muitos problemas na nossa vida como mulheres em uma sociedade machista. Então, sim, vejo esse ponto como algo muito necessário por mais difícil que seja manter todas essas atividades ao mesmo tempo.

Vale lembrar também que nem todas têm com quem deixar o/os filho/os. Entenda que concretizar esse tópico vai levar o tempo necessário para cada realidade, mas não desista desse objetivo.

Mostre pro seu parceiro ou ex-parceiro, que ele também tem responsabilidades a arcar com o(s) filho(s) e isso incluir tempo e afazeres com a criança. Esse tópico é simples, nem precisa explicar muito. É hora de vocês fazerem o papel de vocês, papais.

E por último, crie uma rotina para a criança. O bebê não está habituado ao nosso mundo e nossas regras, então como todo ser humano, precisa ser ensinado. Isso pode ser iniciado o quanto antes. Ter hora para deitar, levantar, mamar, a princípio são as coisas que merecem um esforço rotineiro até que a criança se acostume. Dormir no seu próprio berço ou não acostumar sempre no colo, por exemplo, são detalhes que parecem não influenciar muito mas que vão fazer toda diferença na sua disposição e tempo.

Essas são só algumas dicas, mas tenha certeza que para cada problema, há uma solução e ele se torna-rá menor se você estiver minimamente preparada pra o que está por vir, isso inclui identificar isso que você considera “problema”.

Antecipe em se programar, organizar e criar hábitos. Se necessário, escreva em um caderno a rotina da semana e anote até mesmo as coisas básicas tipo “tomar banho X horas” (quem é mãe sabe que até um banho é um desafio, né!). Comece com metas fáceis, a cada meta conquistada vai ser combustível para realizar mais, essa é uma dica para a vida. Apenas continue sendo a mãe possível e com o tempo tudo vai melhorando e tomando seu lugar. Boa sorte pra nós!

– por Sany Santana

Sany é arquiteta e trabalha no Tribunal Regional Federal. Mãe de primeira viagem, ao longo dos anos vem acumulando experiência em maternidade e vivência consciente como uma mulher preta. Conheça mais sobre a autora desse texto: Instagram @sany_santanna

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin