EnglishItalianPortugueseSpanish

Bem-vindo Outubro Rosa

Vista essa causa

Esse mês representa mundialmente a luta contra o câncer de mama. No Brasil, as campanhas de conscientização e prevenção acontecem desde 2002. A publicidade adotou o tom de rosa como motivador de campanhas nesse período, e ações em mídias sociais também tendem a ser reforçadas durante este mês. A campanha é uma oportunidade para alcançarmos mais mulheres acerca dos exames preventivos e autocuidado. Busca-se cada vez mais o engajamento de todos, pois conforme a OMS no Brasil as taxas de mortalidade por câncer de mama ainda são elevadas, devido a doença ser diagnosticada em estágios avançados.

A mamografia permite o diagnóstico precoce do câncer e mostra lesões em fase inicial, muito pequenas. É recomendado que seja realizada a cada dois anos por mulheres entre 50 e 69 anos. Além disso, em qualquer faixa etária a mulher deve ser estimulada a conhecer o que é normal em suas mamas e a perceber alterações suspeitas de câncer, por meio da observação e palpação ocasionais de suas mamas, em situações do cotidiano, sem periodicidade e técnica padronizadas como acontecia antigamente com o método de autoexame.

Segundo especialistas a melhor época do mês para que a mulher que ainda menstrua avalie as próprias mamas para procurar alterações são alguns dias após a menstruação, quando as mamas estão menos inchadas. Para as mulheres que já passaram a menopausa, o cuidado pode ser feito em qualquer época do mês.

Os sintomas e sinais do câncer podem variar, e nem todas apresentam sintomas. De qualquer forma é importante que conheçamos nossas mamas.

Fique atenta, caso você identifique esses sinais ou sintomas:

· Inchaço de toda ou parte de uma mama (mesmo que não se sinta um nódulo).

· Nódulo único endurecido.

· Irritação ou abaulamento de uma parte da mama.

· Dor na mama ou mamilo.

· Inversão do mamilo.

· Eritema (vermelhidão) na pele.

· Edema (inchaço) da pele.

· Espessamento ou retração da pele ou do mamilo.

· Secreção sanguinolenta ou serosa pelos mamilos.

· Linfonodos aumentados

Sabemos que a hereditariedade é responsável por apenas 10% do total de casos, mulheres com história familiar de câncer de mama, especialmente se uma ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmãs) foram acometidas antes dos 50 anos, apresentam maior risco de desenvolver a doença.

Fonte: INCA,2019.

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) tem o prazer e o orgulho de dividir com vocês o compêndio sobre o câncer. Em uma linguagem simples, dinâmica e de fácil compreensão, o livro ABC do câncer fornece informações básicas e objetivas, abrangendo todos os principais aspectos do câncer: definição, prevenção, tratamento, epidemiologia e políticas públicas. Clique aqui e tenha acesso a mais um guia de orientação.

Contudo, hoje percebemos que as mulheres estão com menos medo de enfrentar a doença e seus tratamentos graças a todas as campanhas realizadas com muito carinho, gerando empatia entre todos que se tornam multiplicadores dessa causa. A solidariedade transmite a sensação de que isso pode acontecer com qualquer uma de nós, é uma espécie corrente do bem que nos fortalece e nos une, além disso todas nós conhecemos alguém que já passou por essa doença. Vamos vestir a simbologia rosa durante esse mês e mostrar que estamos juntas no propósito de lutarmos e vencermos os desafios.

Eu visto essa causa e você?

– por Raquel Vasconcelos

Raquel é Pedagoga, especialista em Psicopedagogia e Gestão Educacional, além disso, mestranda em Ciências e Matemática. Conheça mais sobre a autora desse texto: Instagram: @raka.rmsv

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin