EnglishItalianPortugueseSpanish

Dicas de Filme – A Vida Imortal de Henrietta Lacks

Henrietta Lacks se transforma na pioneira de um dos maiores avanços da medicina

Em 1951, Henrietta Lacks faleceu devido a um tumor no colo do útero. Sem seu consentimento ou de sua família, e se aproveitando de sua condição financeira desfavorável, pedaços do tumor que a matou foram removidos e utilizados em um estudo médico, que resultou em uma bilionária indústria de pesquisa.

  • Comentário sobre o filme:
  • Rebecca Skloot, uma jornalista que investigou durante 10 anos sobre as células de Henrietta Lacks, a mulher que ajudou na cura de várias doença. Agora Rebecca pretende fazer uma biografia sobre Henrietta Lacks e para isso ela terá que ter a colaboração de toda a família, uma família complicada e cheia de problemas e uma delas é Débora Lacks a filha que tem ansiedade, depressão, e vários outros acometimentos de saúde devido a não saber nada sobre sua mãe, ela surtava todas as vezes que qualquer repórter fosse investigar sobre a família. Mas, ao longo do caminho dessa investigação teremos uma surpresa.

    Gênero: Drama
    Classificação: 14 anos
    Onde encontrar: HBO Max

  • Avaliação do filme:
  • Produzido por Oprah Winfrey baseado no livro da jornalista Rebecca Skloot, o filme é um pouco parado e bem familiar, mas com uma história muito linda, envolvente. Em saber que os negros há muitos anos atrás eram feitos como cobaia para experimentos de ciências, essa história vai te comover pela família, pelo enredo, pela história tente não se , acho difícil se você for sensível como eu, você com certeza irá tirar um cisco do seu olho. A História dessa mulher é maravilhosa quando você tiver um tempo faça uma pesquisa sobre ela, pois é a história é verídica.
    Avalio com nota 9.5.

    Queridas leitoras, até o nosso próximo filme !

    – por Aurea Francisco

    Aurea, é mulher, negra, casada, mãe de 3 filhos adolescentes, criadora de conteúdo digital e apaixonada por filmes africanos e afro americanos. Conheça mais sobre a autora desse texto no instagram:@cine.afro

    Share on facebook
    Share on google
    Share on twitter
    Share on linkedin