EnglishItalianPortugueseSpanish

Tailândia, o que ninguém te disse.

Mais do que fotos bonitas no Instagram. O que vi, após morar lá por 50 dias.

Esse era um destino que estava na minha listinha por muitos anos. Sempre quis conhecer a Tailândia, mas, apesar de não ser um país caro, o fato de ser muito longe do Brasil, tornava a viagem bem complicada. O valor dos voôs são altos, normalmente precisa de 3 paradas e mais de 24 horas de viagem. Mas como tudo na vida, um dia a oportunidade surgiu.

A decisão de ir para a Tailândia veio após a pergunta: “Onde vou passar o ano novo?” Tudo o que eu queria era água de coco, pé na areia, nada de ostentação, só muita beleza natural e um sol vibrante para embalar os dias no paraíso. Ir para a Ásia pareceu a ideia mais acertada.

Barulho, bagunça e muita sujeira.

Minha primeira parada foi em Bangkok. A capital da Tailândia, que fica bem longe daquela ideia que nós do Brasil temos a respeito de paraísos naturais na Ásia. Bangkok é uma cidade super lotada, com muito trânsito, bagunça e sujeira. Eu fiquei surpresa em passar por tantas ruas que aparentavam e cheirava mal. A comida feita nas ruas (street-food), é uma tradição e eles literalmente cozinham em qualquer lugar. O que me deixou em choque, porque regras de higienização simplesmente não são seguidas.

Logo na chegada, notei que precisaria de uma dose extra de paciência nesse país. Muitos só falavam a língua local, o que dificultou bastante a comunicação.

Exploração sexual

Algo curioso que assistimos lá (mas que pode ser encontrado inclusive em outras cidades da Tailândia) foi o Ping Pong Show. Se você nunca ouviu falar sobre isso, prepare-se, pois até eu fiquei chocada quando descobri do que se trata esse show. Basicamente, é um show onde as mulheres colocam coisas na vagina, entre elas, bolinhas de ping-pong e tiram esses objetos de dentro do órgão genital. O ambiente onde isso acontece, é em um palco, escuro, com várias cadeiras em volta, como se fosse em uma sala de cinema. Claro, você precisa ter mais de 18 anos para assistir, porém, ninguém pede para olhar a sua identidade. Apesar de todo o erotismo, não é nada sexy assistir esse show e as pessoas ficam super chocadas e enojadas com as demostrações. Foi curioso, mas definitivamente não é um lugar que você precisa ir duas vezes. E não para por aí, infelizmente, a prostituição tanto de mulheres, quanto de Lady Boys (travestis) é muito grande. A abordagem acontece em qualquer rua bem movimentada, sem nenhuma vergonha, na frente de todo mundo. Parece algo natural.

Comendo aranhas

A culinária da Tailândia é uma das mais gostosas que já provei, com uma mistura de sabores incríveis. Porém comida de rua, por mais curiosa que eu seja, não tive nem coragem de provar. Você vai encontrar vários insetos sendo vendidos como petiscos. Eu experimentei escorpião e aranha, mas achei tão secos que foi até difícil de engolir.

A poluição no paraíso

A poluição infelizmente é algo assustador por lá. Não só em Bangkok, mas no meu segundo destino que foi Phuket. Isso é algo que ninguém (nem eu mesma) mostrei nas minhas fotos no Instagram, porque é normal querer mostrar e falar só sobre as coisas boas de um lugar, mas infelizmente a poluição e o acúmulo de lixo, estão destruindo a Tailândia. A quantidade de objetos de plástico nas ruas e nas praias é de cortar o coração. E a impressão que dá, é que os próprio nativos não cuidam do lugar que tem. Situação parecida em muitos lugares do Brasil, por exemplo. O que é lamentável. Ficou nítido ao meus olhos, que se continuar assim, em alguns anos, a Tailândia se tornará um depósito de lixo. Durante um passeio de jetski, dirigi até uma ilha próxima, onde havia somente natureza e.. plástico. Era tanto plástico, que queria descer pra limpar. Como o lixo foi parar lá? Levado pela maré. Ou seja, todo esse lixo estava no mar! Esse é inclusive um dos motivos pelo qual não se vê mais vida marinha em abundância. O lixo, associado a quantidade de barcos de turismo, acabaram com todos os peixinhos que deveriam estar lá. A única vez que consegui nadar próxima de corais que ainda tinham vida marinha, foi por pura sorte. Fora essa única vez, não vi mais nenhum peixe no mar.

Vale a pena ir para a Tailândia?

Se me arrependo de ter ido para a Tailândia? Não. Me arrependo de não ter ido ANTES para a Tailândia. Antes de todas essas coisas causadas por humanos acontecerem. Esse texto, fica como registro para uma conscientização coletiva. A gente ainda não tem noção de como a poluição e principalmente, TUDO O QUE CONSUMIMOS DE PLÁSTICO, está acabando com o planeta. Parece besteira, mas quando você vê de pertinho, assim como eu vi, percebe o que está acontecendo.

Viajar para a Tailândia, me fez uma pessoa ainda mais consciente sobre os cuidados que devo ter com o meio ambiente e minha sorte foi que ainda existem lugares bonitos para apreciar por lá. Em breve, vou publicar uma matéria sobre as coisas boas e únicas que ví e vivi na Tailândia.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin